O coelho Marcos

Autor: Diego Ramos dos Santos

Vou contar uma história de um coelho aventureiro chamado Marcos, que gostava de fazer piquenique no alto da montanha. Em um de seus passeios encontrou uma mina abandonada e teve uma grande vontade de entrar na mina, corajosamente estava entrando na mina quando apareceu um touro que escalava a montanha, que logo viu o coelho e lhe deu uma chifrada jogando o Marcos no carrinho da mina. Nesse momento, chegaram os ladrões que também faziam piquenique e queriam entrar na mina. Ao ver o touro, o mataram com um machado e fizeram churrasco dele.
Escondido, Marcos assistia a horrível cena, com muito medo de virar comida dos ladrões, tentou escapar, mas não conseguiu, para sua sorte apareceram quatro heróis: um tinha visão de raio x, outro tinha poder de ficar invisível, outro com poderes de vulcão e o ultimo com poder de gelo. Juntos eram conhecidos como “coelhos pensantes”, que logo perceberam que o coelho estava prestes a virar cozido.
Iniciou uma luta com os bandidos. Os bandidos fugiram prometendo vingança.
O coelho Marcos agradeceu:
-Obrigado, por me salvar daqueles bandidos maldosos!
O coelho foi convidado para fazer parte da equipe dando lhe poderes de energia.
E assim viajaram por todo mundo procurando mais coelhos heróis para formarem um exercito de heróis, mas conseguiram apenas 4 heróis formando o grupo chamado Coelhos Pensantes. Um com poder de velocidade, outro lia as mentes, outro controlava as águas e o último controlava os ventos.
Os bandidos voltaram para se vingar, então eles atacaram os coelhos. Última luta, os coelhos pensantes derrotaram os bandidos para sempre. Já que a mina era motivo de tantas violências, os coelhos pensantes a tornaram invisível.
Esses heróis viveram mais cem mil aventuras pelo mundo. Você quer saber onde e como os coelhos conseguiram os seus poderes? Eu também quero saber.

Nota: Diego é um aluno de inclusão social. Esse texto foi elaborado por ele com ajuda da professora de apoio. Todas as atividades trabalhadas com os outros alunos foram adaptadas para ele. O objetivo principal, no começo, foi trabalhar com a oralidade, que Diego pudesse fazer levantamento de hipóteses sobre o título; fizesse o reconto da história; descrevesse os personagens não apenas o físico, mas também o comportamental; que entendesse as passagens de tempo que ocorrem num enredo de uma história. 

O planejamento abaixo foi direcionado pela professora de apoio, o aluno fez as seguintes escolhas e deu as seguintes respostas:

SCAN_20170630_193410831

A professora de apoio foi a escriba nesse momento, achamos melhor que o aluno contasse tudo que gostaria de ter na sua história. As intervenções feitas foram para que ele conseguisse criar uma história que houvesse começo, meio e fim.   

 Após o planejamento, a professora pediu que o aluno narrasse o seu conto. A todo momento, o planejamento era retomado, perguntando a ele se modificaria alguma coisa e o porquê faria essa modificação. Toda vez que o aluno se perdia na narração a professora fazia a releitura da história.

 

SCAN_20170630_193410831_001

SCAN_20170630_193410831_002

Quando a professora terminou de escrever, eles fizeram uma leitura de como havia ficado e Diego conseguiu perceber algumas inadequações em sua história. O que chamou mais a sua atenção foi o nome que havia modificado no meio da narrativa, pois no planejamento ele escolheu Cristal, mas depois mudou para Coelho Marcos.                                                                                 Num outro momento, Diego releu sua história para relembrá-la e propomos que fizesse a reescrita junto com a professora de apoio, modificando o que não havia gostado nela.

Assim que terminou de passar a limpo, quis digitar no computador e pediu que sua história fosse mostrada na lousa digital a fim de que os outros colegas pudessem revisá-la  (da forma como havia sido com todos). O professor pediu que os alunos revisassem somente a pontuação.